Rondonista em Santa Rosa de Goias e Mamuel Emidio-PI,em 1977e 1978,gostaria de entrar em contato com participantes.


Postar minha mensagem

Ver outras mensagens

09/05/2013 - Projeto Rondon elege nova diretoria e será Instituto

Ver mais imagens

Notícias

18/07/2011 - Casos graves são atendidos pelos voluntários da operação Abadia de Goiás

Duas pacientes tiveram de ir para o hospital depois de medir pressão e fazer dosagem da taxa de glicose no sangue

Entre 110 pacientes consultados durante a Operação Abadia de Goiás, realizada pelo Projeto Rondon Goiás em parceria com a prefeitura municipal na cidade vizinha à Capital, os médicos voluntários atenderam pelo menos dois casos graves, com risco iminente de morte. O primeiro paciente foi socorrido no sábado, 16 de julho. Hipertensa e diabética, uma senhora de 77 anos de idade chegou ao local de atendimento já muito debilitada, reclamando estar com os sintomas a duas semanas.

A médica Fernanda Leão Martins, que atendeu a paciente, afirma que esta apresentava quadro grave, com batimento cardíaco e respiração irregular, pés inchados e retenção de líquido da região abdominal. “Caso continuasse sem atendimento ela corria risco de ter uma parada cardíaca, respiratória ou um acidente vascular cerebral (AVC)” explica.

Segundo a equipe médica a filha da paciente alegou que não pode levar a mãe ao médico antes, pois seu marido sofre de problemas nos rins e não poderia dar suporte aos dois. Uma ambulância foi chamada e a idosa, que corria risco de morte, foi encaminhada para o hospital.

O outro caso foi atendido na manhã de domingo, 17 de julho. A paciente também diabética e hipertensa foi procurar atendimento na Operação apenas para fazer uma medição de glicose de rotina. No exame foi descoberto que sua glicose estava em 450 mg/ml , quatro vezes acima do nível saudável que é em torno de 110 mg/ml .

Segundo a médica Roberta Rodrigues Monteiro da Gama, a paciente, de 47 anos, afirmou que faz o acompanhamento da doença e tem os remédios em casa, mas que toma apenas os de hipertensão e não faz dieta. Roberta afirma que a paciente já apresenta problemas oftalmológicos ocasionados pela diabetes. Caso continuasse sem tratamento seu quadro poderia evoluir para insuficiência renal e cegueira.

A segunda paciente , que não sabia que sua diabetes era tipo 2, foi orientada dos riscos das complicações da doença e encaminhada para um hospital para fazer tratamento e exames. Além de atendimento e orientações médicas, a Operação Abadia de Goiás ofereceu também palestras sobre saúde da mulher, tabagismo, diabetes e hipertensão.

Fonte: Projeto Rondon® - Goiás







Assine a nossa newsletter e receba as novidades sobre o Projeto Rondon:

Seu nome:


Seu e-mail: