Rondonista em Santa Rosa de Goias e Mamuel Emidio-PI,em 1977e 1978,gostaria de entrar em contato com participantes.


Postar minha mensagem

Ver outras mensagens

09/05/2013 - Projeto Rondon elege nova diretoria e será Instituto

Ver mais imagens

Not��cias



30/03/2010 - Projeto Rondon beneficia mais de 750 pessoas no povoado de Araras

No último fim de semana, dias 27 e 28 de março, acadêmicos e voluntários do Projeto Rondon® levaram à comunidade de Araras, no município de Faina, atendimento médico, odontológico, oficina de inclusão digital e atividades de esporte e lazer

O simpático povoado de Araras nunca esteve tão movimentado como no último fim de semana, dias 27 e 28 de março. Acadêmicos e voluntários do Projeto Rondon® levaram àquela comunidade do município de Faina atendimento médico, odontológico, oficina de inclusão digital e atividades de esporte e lazer e orientação jurídica. Foram beneficiadas mais de 750 pessoas, na operação que teve a coordenação do Ministério Público do Estado de Goiás e o apoio da Prefeitura Municipal e Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), além da participação de inúmero parceiros (ver lista abaixo). Acompanhado do gerente executivo Lúcio Dias Nascimento, o presidente do Projeto Rondon® José Cláudio Romero esteve presente à partida dos rondonistas, na Praça Universitária, no dia 26, e visitou Araras, para supervisionar os trabalhos, no dia 27.

Denominada “Operação Araras”, a ação teve foco principal nos portadores de Xeroderma Pigmentoso, doença genética rara que atinge 21 habitantes da região. A dermatologista Sulamita Costa Wirth Chaibub, que está acompanhando os doentes, esteve no povoado e conheceu de perto a realidade. “É importante para dar maior profundidade ao estudo do caso”, disse. Um agente do INSS também avaliou os pacientes para a concessão de benefício.

Além de Araras, os moradores das cidades de Faina e Matrinchã, do povoado de Santa Rita e dos assentamentos 17 de abril, Cora Coralina e Santa Rosa buscaram principalmente por consulta médica. Foram realizados 141 atendimentos, 47 coletas de amostras para o exame de prevenção de câncer do colo de útero e 165 exames de glicemia. Os acadêmicos de medicina foram orientados pela doutora Letícia Pinto Coelho Jorge.

A dona de casa, Maria dos Reis Freire, estava desconfiada há algum tempo que umas manchas nas costas de seu filho Talyson Andrade Freire, 4 anos, poderiam ser sintomas do Xeroderma Pigmentoso. “Meu sogro e o primo do meu marido são portadores, mas ainda não tinha tido oportunidade de levar o meu menino para o dermatologista em Goiânia”, diz. Depois de o garoto ser examinado pelos acadêmicos supervisionados por um profissional, a mãe tirou todas as dúvidas e a obteve a confirmação de que ele está saudável, livre da doença genética.

Na oficina de inclusão digital, cerca de 120 crianças e adolescentes se revezaram para utilizar os computadores. A rondonista Kássia Cristina Freitas orientou e organizou o pessoal. A estudante Luana Nunes, 10 anos, se empolgou brincando com o jogo de corrida no computador. Era a primeira vez que usava o teclado e o mouse. “Na minha escola não tem”, reclama a pequena moradora do povoado de Santa Rita.

Um dos parceiros da Operação Araras, o Sesi disponibilizou um consultório odontológico móvel e kits com escova, pasta de dente e fio dental. O gerente da unidade Sesi/Aruanã, Hamilton da Mota Correa, considerou o evento de grande importância pois ajuda também, além da saúde, o desenvolvimento econômico, atraindo os olhares do setor público e privado para a região.

“Estamos desenvolvendo um trabalho de alfabetização de jovens e adultos que estão fora da idade escolar, com o método do Telecurso com duração de seis meses”, revela Hamilton. Segundo ele, há três turmas de 15 a 20 alunos em Araras e já está prevista a quarta. “Vamos fechar uma parceria para oferecer também cursos de formação continuada”, diz o gerente.

Os portadores de Xeroderma Pigmentoso têm mais propensão a desenvolver câncer na língua e na boca. Acadêmicos de odontologia da Universidade Federal de Goiás (UFG), orientados pelo professor Luciano Alberto de Castro, atenderam 16 pacientes com a doença, no qual a maioria apresentou lesões bucais.

“Fizemos o levantamento das condições odontológicas e um questionário detalhado sobre cada um deles. Foi uma oportunidade muito boa, porque nem ao menos tínhamos conhecimento deste povoado”, comenta o professor Luciano, que dará continuidade ao tratamento dos doentes.

A presidente da Associação dos Portadores de Xeroderma Pigmentoso de Goiás (Apoderma-GO), Gleice Francisca Machado, ficou satisfeita com os resultados da Operação Araras. Foi por meio dela, que a reportagem do Correio Brasiliense conheceu e publicou uma reportagem sobre a situação dos doentes no povoado de Araras, chamando a atenção do Ministério Público, TV Serra Dourada e Projeto Rondon®.

De acordo com Gleice, depois da assistência do Projeto Rondon, os governos municipal e estadual estão “vendo o povoado com outros olhos”. “Agora sabemos exatamente quais são os nossos direitos. E o que foi prometido, a Associação terá força para cobrar”, avisa. Um dos principais desafios para os portadores da doença é a regulação do tratamento.

Essa regulação deveria ocorrer por meio de pactuação com da prefeitura de Faina com a Prefeitura de Goiânia, mas tanto o governo municipal local quanto a Apoderma reivindicam que os associados tenham seu tratamento vinculado ao Hospital Geral de Goiânia (HGG), onde atua a dermatologista Sulamita Chaibub. O Hospital também se encarregaria de fazer a ponte entre os pacientes e outras unidades especializadas, entre elas o Hospital Araújo Jorge, onde é oferecido tratamento oncológico.

Integração

O lema do Projeto Rondon® “Integrar para não entregar” foi repetido diversas vezes durante a Operação Araras. Não é a toa que a integração com a comunidade local foi considerado o resultado mais importante pelos 30 rondonistas participantes da Operação. O estudante de enfermagem Waleson Jonh Lauriano da Silva ficou muito entusiasmado. “Sou um apaixonado pela saúde pública e nunca tinha tido uma oportunidade como esta. É uma experiência que vou guardar por toda a minha vida”, revela.



FICHA TÉCNICA

COORDENAÇÃO:

Ministério Público do Estado de Goiás

REALIZAÇÃO:

Projeto Rondon Goiás

Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech)

Prefeitura de Faina/ Secretaria Municipal de Saúde de Faina


PARCEIROS:

Universidade Federal de Goiás (UFG)

Pontifícia Universidade Católica (PUC-Goiás)

Agência Goiana de Esporte e Lazer (Agel)

Sesi/Senai

Editora Kelps

TV Serra Dourada

Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia

Secretaria Estadual de Saúde

Hospital Geral de Goiânia (HGG)

Superintendência Leide das Neves (Suleide)

Departamento de Estadual de Trânsito de Goiás (Detran)



Fonte: Projeto Rondon® - Goiás







Assine a nossa newsletter e receba as novidades sobre o Projeto Rondon:

Seu nome:


Seu e-mail: